Publicidade

sexta-feira, 29 de abril de 2011 música | 19:34

Rap é o berço atual da música pop

Compartilhe: Twitter

Odd Future, Das Racist, Wiz Khalifa nos EUA; Rincon Sapiência, Emicida, Criolo, Slim Rimografia, Lurdez da Luz no Brasil.

Não é à toa que o rap está ocupando bom espaço no noticiário pop. É do gênero que está saindo não apenas boa música, mas gente provocadora, que foge do padrão, que tem coisas interessantes pra falar.

A música pop é uma indústria. Empresários de shows; organizadores de festivais; agências de artistas; jornais, revistas, sites, TV, rádio, YouTube. Essa cadeia precisa ser alimentada. Quem faz isso? É preciso surgir nomes constantemente para que as engrenagens continuem trabalhando.

O rock ficou com a missão no final dos anos 1980 (grunge), no meio dos 1990 (britpop), no início dos 2000 (novo rock).

A eletrônica entrou no final dos 1990, com Chemical Brothers, Prodigy, Underworld e outros extrapolando os limites das pistas de dança.

O rap historicamente (e infelizmente) sempre foi colocado meio à margem dessa indústria – por preconceito, ignorância. Nunca foi fácil vender shows do gênero para patrocinadores, ou emplacar reportagens em grandes veículos – fazer a mesma tarefa com gente nova do rock e da eletrônica era bem mais tranquilo.

***

Hoje, me parece, é no rap onde estão aparecendo nomes capazes de alimentar essa indústria. Como o Odd Future.

O coletivo (o nome é Odd Future Wolf Gang Kill Them All) tem oito, nove caras, todos com pouco mais de 20 anos, se tanto.

Seus shows são o que se espera de shows de rock: imprevisíveis, anárquicos, potentes. O líder do Odd Future, Tyler the Creator, é o que se espera de um líder de uma banda de rock: inteligente, desafiador, não-domesticado por assessores e executivos.

Em uma entrevista, perguntaram a Tyler: qual seu objetivo? “Ser melhor do que todo mundo. Porque eu odeio todo mundo e eu quero ser melhor do que todo mundo e eu quero que todos saibam disso”. Não faz média, é ambicioso, sabe onde quer chegar.

Entende-se por que uma publicação como o semanário “NME” (que sempre se dedicou às guitarras, preferencialmente de jovens brancos), tenha Tyler estampado em sua atual capa. Ou por que Pharrell Williams (Neptunes, NERD) paga pau para eles. Ou por que a MTV está tão animada com os caras.

***

No Brasil, a situação é parecida. Já ouviu o disco novo do Criolo (ex-Criolo Doido)? Para entender o mundo do Criolo, que une rap, samba e até bolero, esta entrevista feita pelo Pedro Alexandre é uma porta de entrada.

E uma das faixas mais legais feitas neste país é esta que você ouve/vê abaixo.

Autor: Tags: , , , , ,

24 comentários | Comentar

  1. 74 ass 06/06/2011 18:35

    dasdasdad

  2. 73 Renan 06/06/2011 18:32

    O Rincón tá no mainstream já fazem alguns meses por uma gravadora que não costuma investir muito em rap que é o mais interessante.

    O rap no Brasil na minha opinião tem crescido bastante mas tem muita coisa a melhorar ainda. Muita gente tem que aparecer ainda.

  3. Thiago Ney 04/05/2011 16:58

    joão carlos,
    o rap, no brasil, sempre esteve à margem, sim. eminem é uma exceção. o fato de veículos q tradicionalmente não cobrem rap estarem dando mais espaço ao gênero é um dado que ratifica o q esta escrito no post: que novos nomes de rap estão mais interessantes do q nomes de outros gêneros. abs

  4. 72 João Carlos - Itápolis-SP 04/05/2011 15:59

    Manda fechar o Brasil: começa pelo artigo fraco, que se diz chateado que o rap sempre esteve à margem, mas só o nota agora que os mesmos veículos indie de sempre o destacam. Precisa a NME dar pra virar pauta? Lamentável. Das Racist já lota shows em Nova York desde outubro do ano passado, no mínimo.

    E dizer que o rap esteve à margem me parece incrível. Não precisa citar Jay Z e Eminem contra isso, precisa?

    Mas manda fechar também pela mentalidade pequena de ambas as partes: a) gente que quer caracterizar “rap como movimento”. Galera, vai achar outra coisa pra fazer da vida, vai. Que mesquinharia. Tão nessa ainda??; b) gente que diz que “rap é lixo”, que sampler é cópia, que de tudo é a mesma pergunta. Afe, santa ignorância. Vale a mesma pergunta: tão nessa ainda??

    Milhões em ação, pra frente Brasil, salve a Seleção!

  5. 71 Vinrot 30/04/2011 17:57

    Thiago Ney, CALA A BOCA. Se estes caras tem o que dizer! Eu me pergunto quando vão começar a dizer, até o momento só lixo de letra. ACORDA

  6. 70 Hu nodia 30/04/2011 14:40

    Vejo com ressalvas essa necessidade de criarmos novos nichos musicais como baluarte de qualquer época. O rap( inserido na cultura hip hop) é uma música forte e criativa no mundo há mais de 2 décadas e creio que a mesma não necessite de uma “legitimidade” de ninguém que não conheça a história deste gênero musical.
    O rock, quanto rap, reggae, soul, jazz sempre terão seus expoentes criativos e contundentes que perpassam por vários setores sociais e culturais.
    No caso do rap , vários grupos e artistas vem desenvolvendo trabalhos bacanas há muito tempo como GOG, Facção Central, DMN, Kamau, Kontrast, Are.Zona, Mahal, Marechal, De Leve, Clã Nordestino, Jackson, Artigo 607, etc de muita qualidade e com contexto bem politizado. Tenho receio de pessoas que não conhecem nada da história do Hip Hop começarem a eleger quem deve ser merecedor de uma visibilidade midiática que tem o intuito de agradar a gente tido “cool”. Emicida, Criolo Doido entre outros artistas citados são de extrema competência e não podem ficar a mercê de pessoas que só querem encaixá-los em mais uma tendência da música pop. Hip Hop nunca vai ser moda, é manifesto…salve a todos.

  7. 69 Luiz Souza 30/04/2011 14:34

    Para quem não acompanha o RAP, axa que isso tocado hj faz parte do movimento das raizes do RAP.

    Por favor não chame 50 Cent, de rapper, não chame Will.A.M de rapper.

    Esses caras se acham o que nunca foram, fazem musica para ganhar $$ somente, levante o que eles fizeram até hoje.. nada além de ganhar $$$.

    Como NAS já disse Hip Hop Is Dead, há tempos.

    Wiz Khalifa é só mais um que fez uma musica decente e se vender para sua gravadora e fez um album pop.

    Desculpe isso não é rap.

    Falar que isso hoje é rap é fazer 2Pac, Notorious B.I.G, Eazy-E se mexerem nos tumulos !

    Uma coisa é evolução da musica, outra é se vender por $$ e foi isso que aconteceu.

    Quem viu Kanye West no começo e agora, quem viu TImbaland no começo e agora.

    Certamente o Show Biz mexeu com a cabeça destes caras.

  8. 68 philip 30/04/2011 14:14

    isso e uma falta de respeito de vcs com os rappers
    e desses “rappers” como eles se dizem com o pessoal que
    des dos anos 80 vem lutando e so conseguiu espaço en 1990 com racionais
    RESPEITO

    add ai galera soguinel2@hotmail.com

  9. 67 ty 30/04/2011 12:35

    desculpem, mas a musica negra (especialmente a americana, mas tambem a jamaicana) sempre foi o berço da maioria dos generos que se ouvem hoje, inclusive o rock (que elvis e beatles tomaram emprestado de negros pobres e criativos).
    mas o rap sempre esteve num contexto maior, de ativismo, dança, grafite, conhecimento, ate uma parte do rap se tornar mainstream, mesmo assim, ainda da um banho de criatividade em qq banda de rock barulhenta, e tem muitos generos de rap

  10. 66 Tadeu Brito 30/04/2011 12:06

    É evidente que o Thiago não acredita no que escreve; só está querendo ser politicamente correto.

  11. 65 TUPAC 30/04/2011 11:51

    Já foi o tempo de dizer que o rap é som de marginal, não existe um preconceito ou uma escolha musical e sim um RACISMO MUSICAL e por que? se o Rock também nasceu dos guetos norte americanos, mas hoje tudo que se escuta vem do rap, Lady Gaga tem o dedo de DR Dre, Madona tem Timbaland, Justin Timberlake tem Will i am, Limk Park/Fort Minor é gerenciado por Jay-Z, Mariah Carey se levantou por causa de Jermaine Drupi entre muitos outros…

    Só para justificar o racismo musical na musica do Daft Punk harder better faster stronger (no estilo musical Eletrônica) foi muito criticado quando autor Kaney West e Timbaland resolveu SAMPLEAR ela dando a musica Stronger, muitos disseram de que como um rapper havia a audacia de ter roubado uma musica eletronica, e de que como os Niggaz queriam roubar o estilo musical, mas esquecem (E muitos ainda não sabem que a musica Hader Better Fast Stronger sampleada não é do Deft Punk e na verdade é de Edwin Birdsong – Cola Bottle Baby) o tanto que calou a boca de muitos que dizem que o rap é um som de marginal se Edwin Brisong proporcionou a cena de Kanye e Deft Punk juntos no Grammy.

    Então antes de você falar que o RAP é um lixo, veja de onde vem a levada, se o som que você curte tem origem do gueto, se algum rapper produziu, se um deles fez participação, ou se a sua banda favorita vem da Interscorp, você pode ter preconceito com o seu próprio estilo de musica!

  12. 64 Mackeno 30/04/2011 10:20

    Salve o Rap.
    Novos tempos.
    Essa e pra vcs…….
    entrei no seu radio e vc nem viu..

  13. 63 orlando 30/04/2011 9:33

    É deplorável ver como as pessoas não tem o menor senso crítico, chamar RAP de música, onde se ouve uma sequencia mid pobre em acordes em toda a “música” ( se é que posso chamá-la desta forma), sem nenhuma sonoridade, com letras que fazem sempre a mesma alusão a situações de gangues e pobreza. Meu caro colunista, você precisa ou tentar ser mais universalizado no que anda ouvindo ou ir à um otorrino, no próprio comentário acima do Adenilson ele mesmo sugere uma modificação nas letras das mesmas. Desculpe caro colunista, mas você está precisando se reciclar e pesquisar um pouco, se não tá ganhando para isso, sai da moita e dá lugar para alguém que conheça pelo menos um pouco o universo musical. Rapaz totalmente equivocado.

  14. 62 francisco carlos veregue 30/04/2011 8:33

    É triste constatar que depois de mais de dois mil anos de sua morte a cretinice prolifera.”Quero ser melhor do que todo mundo, porque odeio a todo mundo”.Não aprenderam nada mesmo esse imbecis e mentecaptos. Tanto eles como seus fãs.

  15. 61 Marcleim 30/04/2011 7:51

    O grande problema é que a expressão mais conhecida do rap é o gangsta, que dominou o cenário na segunda metade dos anos 90 e a primeira metade da primeira década do 2k.

    De ex-estupradores, ex-traficantes para magnatas da pop music como Jay-Z e 50cent o caminho foi marcado por cenas de exibicionismo, consumismo e muito lixo sonoro.

    Grupos como o Das Racist seguem uma tendência aberta pelo Arrested Development no começo da década de 90 e são mais musicais do que simplesmente rythm and poetry, na verdade aquela insuportável falastronice acelerada destinando agressividade. O grande problema é que a musicalidade de qualidade exige talento e conhecimento. Mas ainda assim, eles estão ai.

    Esses grupos deveriam criar uma nova vertente e adotar um novo nome, assim como o rock, isso ajudaria a combater a rejeição e evitaria que fossem misturados com ao barulho exaltador da criminalidade.

  16. 60 leo 30/04/2011 7:46

    RAP É UM LIXO, DIZER QUE RAP É MUSICA POP, DA LICENÇA NÉ, ISSO JA É UM INSULTO.

  17. 59 Fernandão 30/04/2011 6:37

    “Ser melhor do que todo mundo. Porque eu odeio todo mundo e eu quero ser melhor do que todo mundo e eu quero que todos saibam disso”

    Basta ler esta coisa para entender a indigencia cultural do rap, e de tabela a da “música” pop. Música? Onde?

  18. 58 georgina marccos 30/04/2011 0:59

    Os grandes compositores mundiais estão sem criatividade faz tempo.No momento só quero
    saber de Black music.É bom demais.Énóis he he he…

  19. 57 Alexandre Amorim 30/04/2011 0:00

    “O RAP é o berço da música pop”, agora sei porque a música pop é um lixo.Não diz nada e nada se cria só se copia.E aqui no Brasil , temos o Agrobrega,Emocolorido, Axéxé,Funk Carioca e por aí vai……

  20. 56 Markão 29/04/2011 23:45

    É, mas essa evolução que tanto se diz, é justamente deixar as raízes de lado, entende. O que realmente se quer é que o rap seja o mais comercial possivel, e pra mim isso não é evolução e sim descaracterisação do rap. Evolução pra mim se trata de qualidade das bases,deixar um pouco de samplear e passar a criar, como ja esta acontecendo. Só acho que o rap tem que ter uma vertente mais divertida, mas sem perder a contudencia, o engajamento. Ja temos muitos ritmos alegres sem compromisso nenhum, alguns sem compromisso nenhum com a qualidade tambem, mas enfim o rap não é só mais um ritmo musical, tem toda uma história de resistência, desafios e lutas, não pode se limitar em ser apenas pop, esse nunca foi objetivo.

  21. 55 João Carlos 29/04/2011 23:31

    “Rap é o berço atual da música pop”

    Agora tudo se aclara para mim. Finalmente compreendi porque a música atual é tão ruim, deplorável, de péssima qualidade: por causa de seu nascedouro.

    Se o rap é o berço, temos que sufocar o bebê com a fronha e impedi-lo que se procrie.

    O dia em que rap for música, o Bin Laden é candidato a Prêmio Nobel da Paz.

    delsmel…

    PAZ!
    AMOR!
    ALEGRIA!

    http://www.racksandtags.com/purplemanfrombrasil/

  22. 54 Josias 29/04/2011 22:36

    Sou do MHG ou seja do movimento Hip Hop Gospel hoje moro em Chapecó sc mas por um bom tempo morei em Curitiba onde faziamos varios eventos MGH e a gente sentia na pele a dificuldade para fazer as coisas acontecerem um pouco pelo lado da rejeição do estilo de musica mas lendo esta noticia hoje entendo que as nossas lutas não foram em vão e hoje disfilam nas grandes cidades e nos mais diversos modelos de carros ao som das batidas e mixagem do rap, hip hop enfim o black music.
    Graça e paz
    ManoDJOW

  23. 53 Paulo black 29/04/2011 22:31

    Rap originalmente é musica de protesto, indignação e de Reivindicação. Não queiram misturar rap com musica pop ou outras quem tem no mercado nos dias de . Pq tem muita diferença , q nem musica da moda não adianta . O rap e pra quem se sente injustiçado pelo poder publico ou do genero . A musica rap e pra se ouvir e se descutir o assunto q nela contem , e procurar seus diretos . Rap não é musica pra se ouvir numa BALADA e depois ir pra casa ou outro lugar . Rap é coisa seria e não moda !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  24. 52 geraldo josé 29/04/2011 22:29

    áinda há muito material a ser explorado no RAP; o que dizer por exemplo do RAP e Literatura do GSA!?

  25. 51 Adenilson 29/04/2011 20:55

    Sempre curti Rap porque acho que é uma musica mais envolvente e empolgante.
    Agora acho se muitos grupos, melhorarem as letras o Rap vai longe e invade os meios de comunicações.
    Muitas Radios do Brasil que antes não tocavam rap, hoje já tocam os rap internacional porque houve evolução na musica, faltam só os rap brasileiros evoluirem que eles serão obrigados a tocarem e tocam, Exemplo Gabriel Pensador…
    Falta evolução….

  1. ver todos os comentários

Os comentários do texto estão encerrados.