Publicidade

quinta-feira, 13 de outubro de 2011 música | 19:46

A hora de Asap Rocky

Compartilhe: Twitter

Aquela história de que é do rap que estão vindo as melhores coisas do pop neste 2011 continua se fortalecendo.

Difícil encontrar grupo mais enérgico e atuante do que o Odd Future do Tyler, the Creator; Kanye West e Jay-Z recuperaram seu trono na música com a impressionante “Otis”; o infalível Nas retorna em ótima forma; J. Cole, nome novo, apresenta o dubstep ao rap com a ajuda de Jay-Z; no Brasil, Criolo é responsável por um show forte e dramático; Rashid lançou bela mixtape com a incrível “Porradão de 5”; Rincon Sapiência produziu a viciante “Elegância”.

Essa é apenas uma pequena parte da história. Que recebe talvez o mais surpreendente nome do rap neste ano: Asap Rocky.

Nascido no Harlem, em Nova York, Asap Rocky tem 23 anos e está para lançar sua primeira mixtape, “Live Love A$ap”.

Como no Odd Future, tudo que cerca Asap Rocky é interessante: as músicas, as referências, o modo como usa a internet (vídeos, MP3) para divulgar vídeos/músicas caseiros, como faz dos shows uma reunião anárquica com seus amigos.

Melhor do que descrever, é observar Asap Rocky num freestyle:

Com o anúncio do lançamento da mixtape, ele está começando a aparecer bem no noticiário. Já foi elogiado pela “Fader” e ganhou perfil no “New York Times”. O título da matéria do “Times”:  “Thinking Globally, Rapping Locally”.

Porque, segundo a análise do jornal, Asap Rocky guarda pouca influência do rap de sua Nova York natal: suas faixas emulam o rap de Houston, de Atlanta, o hyphy de San Francisco.

Referências a drogas, mulheres e à moda estão em suas letras. “Raf Simons, Rick Owens/ Usually what I’m dressed in”, ele canta em “Peso”. Já cantou/citou em entrevistas Alexander McQueen, Alexander Wang, Gucci. Será um dos destaques do antenado projeto Creator’s Project, nos EUA.

Ao vivo, Asap Rocky é impressionante. Abaixo, o hit “Peso” no clube Santos, em Nova York:

“Peso” é a música que fez de Asap Rocky conhecido.

Ele tem também “Wassup”.

E “Get High”.

E “Purple Swag”. Que tem um vídeo que vale a pena, co-dirigido por ele.

Autor: Tags: ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.