Publicidade

sexta-feira, 6 de janeiro de 2012 música | 15:25

Criolo e Emicida juntos

Compartilhe: Twitter

Foi o primeiro grande show do ano em SP, segundo o Augusto Gomes, o encontro de Criolo e Emicida, no Sesc Pompeia, em São Paulo, na quinta-feira (dia 5). Não é exagero.

Com os dois, não apenas o rap, mas a música pop brasileira é redesenhada com traços contemporâneos (mas conhecendo-se o passado), cosmopolitas (mas com o pé fincado no Brasil) e divertidos (mas sem esconder a crítica social/política).

A dupla puxa, retorce e estica o rap com o auxílio da soul music, do funk, do samba, do rock. O resultado é enérgico, dançante, denso.

No palco de um Sesc Pompeia lotado, os dois aparecem acompanhados de uma banda de nove músicos mais DJ e vocalistas de apoio. Emicida é o primeiro a tomar o microfone, e manda faixas como “Sorrisos e Lágrimas’. Criolo fica no backing vocal.

Em “Mariô”, de Criolo, Emicida improvisa no meio da música, soltando nomes de vários grupos de rap do Brasil. Em “Subirusdoistiozin”, Criolo mostra que é um craque no rap-canção.

Enquanto Criolo é centrado, exalando tensão, Emicida brinca, faz piadas. Improvisa e rima com uma facilidade impressionante. Já Criolo impõe ainda mais força a faixas como “Não Existe Amor em SP” (um rap-trip hop que já está se tornando clássico) e “Grajauex” (talvez a mais feroz música feita no Brasil em 2011).

Os dois vão se revezando com o microfone principal até que, ao final, fazem uma pequena homenagem ao rap brasileiro. Entram trechos de músicas dos Racionais, Xis e até “Pule ou Empurre”, do RPW.

Em disco e, principalmente em show, Criolo e Emicida, juntos ou separados, são o farol da nova música pop do Brasil.

A série de shows vai até domingo. Os ingressos estão esgotados. Dê um jeito de ir. Vale a pena.

Autor: Tags: , ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.