Publicidade

Arquivo de março, 2013

quarta-feira, 27 de março de 2013 música | 17:40

Páscoa com o Lollapalooza

Compartilhe: Twitter

O Hives "voando" em show na Austrália - Foto: Getty Images

Os números são intermináveis e superlativos, como em qualquer grande festival pop. Mais de 80 atrações, público estimado na casa dos 180 mil etc., são alguns dos dados referentes ao Lollapalooza, que chega à segunda edição paulistana neste feriadão de Páscoa.

O iG fez uma seleção de artistas que são destaques do festival. Faço aqui uma lista pessoal, que deixa de lado os headliners e nomes mais conhecidos.

Nas em show em 2012 - Foto: Getty Images

Nas – Não é todo dia que aparece no Brasil um cara como esse nova-iorquino já beirando os 40 anos. Nas pode ter uma carreira, digamos, “instável”, mas é um dos rappers mais talentosos desde sempre. Seu “Illmatic”, lançado láááááá em 1994, é obrigatório. Assim como o mais recente, “Life Is Good”, de 2012. O Kendrick Lamar, por exemplo, melhor rapper da nova geração norte-americana, diz publicamente que queria que Nas tivesse participado de seu primeiro disco.

The Hives – O novo rock ainda vive. Pouca gente deu atenção, mas no ano passado o Hives lançou um disco ótimo, “Lex Hives”. Raivoso, cheio de energia, mas pop ao mesmo tempo. “Go Right Ahead” está entre as melhores coisas já feitas pela banda que um dia nos deu “Hate To Say I Told You So”.

Flaming Lips – A voz de Wayne Coyne está mais para Marina Lima do que para Beyoncé, mas como o Flaming Lips se apoia bastante no instrumental e no visual, esse detalhe perde um pouco a importância. A banda talvez toque uma ou outra faixa de “The Terror”, disco que sai na semana que vem. Mas se lembrarem do hino “Race for the Prize” o show já estará garantido.

Foals – Quando era pouco conhecidos, vieram para um Planeta Terra e tomaram conta do festival. Rock bem tocado, alto, cheio de nuances. Está virando banda grande com o terceiro disco, “Holy Fire”, que traz as ótimas “Inhaler” e “My Number”.

Crystal Castles – Deve ser o show mais “errático” e “caótico” (no bom sentido) do festival. Não dá para prever o que essa dupla canadense fará no palco. No SWU 2011, em apresentação pouco vista, fizeram dos shows mais pesados e nervosos do evento.

Holger, Database, Boss in Drama, Mixhell – Três nomes que reúnem muito do melhor rock/pop/eletrônica feito no Brasil. Todos tocam cedo, então dá para começar bem este Lollapalooza 2013.

Autor: Tags:

Cultura pop | 13:26

Woody Allen no Rio de Janeiro

Compartilhe: Twitter

O cineasta Woody Allen - Foto: Getty Images

“Woody in Rio.” “Para o Rio, com Amor.” Há tempos rola a história de que Woody Allen poderia filmar no Rio de Janeiro. Se ele vai realmente levar adiante a ideia eu não sei – o que sei é que o cineasta norte-americano de 77 anos estava caminhando pelo calçadão do Leblon na segunda-feira (dia 25), acompanhado por seguranças.

Autor: Tags:

terça-feira, 26 de março de 2013 música | 19:50

Causando na sociedade: Boss in Drama e Karol Conka

Compartilhe: Twitter

“Toda Doida”. É o nome da novíssima faixa que reúne o produtor Boss in Drama e a esperta vocalista Karol Conka.

Balada, boy magia, cerveja gelada. Está tudo em “Toda Doida”, um hip-house que convida para a festa. E poderá ser ouvida ao vivo pela primeira vez no Lollapalooza – Karol é convidada do show do Boss in Drama no festival.

A música estará no segundo disco do Boss in Drama, que deve sair até o final do ano pela Deck. Diferentemente de “Pure Gold”, o próximo álbum do Boss in Drama será todo feito com letras em português.

“Queria algo diferente do que o que fiz no primeiro disco”, conta Péricles, 26, a este blog. “Terá letras em português, com várias parcerias. Quero um disco que faça a diferença, que não seja apenas mais um disco cantado em inglês.”

Além de Karol Conka, o disco terá participações de Mr. Catra e MC Beyonce (estas já foram gravadas). “Estou chamando gente do pop. É música para a pista cantada em português.”

Abaixo, “Toda Doida”.

Autor: Tags: ,

música | 13:11

O gospel do Yeah Yeah Yeahs

Compartilhe: Twitter

É provavelmente a música mais esquisita já feita pelo Yeah Yeah Yeahs.

“Sacrilege” é a faixa que vai puxar “Mosquito”, quarto disco do trio, que ganha lançamento em abril. Já conhecíamos o áudio, agora chega o clipe do single.

O vídeo é tão estranho quanto a música, que é levada por um vocal suave de Karen O. acompanhado por um coro gospel.  “Sacrilege” já havia sido tocada no South by Southwest, neste março, ao lado de outras faixas de “Mosquito”, como “Under the Earth” e “Subway”.

“Sacrilege”: linda música, lindo vídeo.

Autor: Tags:

música | 12:27

"Oblivion": Tom Cruise e o M83

Compartilhe: Twitter

O M83 em show no final de 2012 - Foto: Getty Images

Tom Cruise chega ao Brasil nesta quarta-feira. Vem para promover o filme de sci-fi “Oblivion”, dirigido por Joseph Kosinski, o mesmo de “Tron: O Legado”.

Se Tom Cruise pisa no país em carne e osso, o M83 aparece por meio da música do filme. Anthony Gonzales (o M83 em si) montou a trilha de “Oblivion” ao lado de Joseph Trapanese. A faixa “StarWaves” emergiu nesta terça-feira.

Não é pouca coisa. O M83 virou nome forte no pop eletrônico depois da mega “Midnight City”, que ganhou incontáveis remixes desde que foi lançada, em 2011.

“Oblivion” não é tão pegajosa quando “Midnight City”, mas tem a norueguesa Susanne Sundfor, pianista e cantora de voz luxuosa.

Autor: Tags: ,

segunda-feira, 25 de março de 2013 música | 14:27

A balada romântica de James Blake

Compartilhe: Twitter

Enquanto o Daft Punk, com a ajuda da Sony, cria um buzz em torno do próximo disco da dupla, “Random Access Memories” (sai em maio), soltando pílulas de poucos segundos de algumas faixas, James Blake segue em sentido contrário.

O geniozinho britânico da eletrônica prepara o lançamento de “Overgrown”, o segundo disco (sai em 8 de abril), despejando músicas (ou versões delas) inteiras que estarão no álbum.

De “Overgrown” já conhecemos “Voyeur”, “Retrograde” e “Digital Lion” – além de “And Holy Ghost”, que sairá como lado B de “Voyeur”. Chega mais uma: “Our Love Comes Back””, em versão ao vivo.

A faixa, que encerrará “Overgrown”, pode ser baixada gratuitamente na Amazon britânica. Levada por um piano lento, sofrido, “Our Love Comes Back” mostra um certo lado intimista, quase romântico de James Blake. Esse disco promete

Abaixo, “Our Love Comes Back” no Sónar islandês.

Autor: Tags:

domingo, 24 de março de 2013 música | 02:14

O britpop acabou: Noel Gallagher e Damon Albarn juntos

Compartilhe: Twitter

Pode enterrar definitivamente o britpop. Noel Gallagher e Damon Albarn se apresentaram juntos na noite deste 23 de março, em Londres.

Nos anos 1990, entre 1994 e 1997 principalmente, a música pop ERA o britpop. Oasis, Blur e Pulp foram responsáveis pelo que de melhor e mais empolgante se fazia no rock.

Muito do apelo do britpop vinha não apenas das melodias de “Rock and Roll Star”, “Wonderwall”, “Babies” e “Girls and Boys”, mas também da eterna (bem, parecia eterna) rivalidade entre Oasis e Blur, entre os irmãos Gallagher e Damon Albarn e cia. As lembranças daquela coisa Blur x Oasis ajudavam a manter viva uma época já longínqua do pop. Não mais.

Essa rivalidade, que já vinha esfriando há algum tempo, acabou de vez neste sábado, no palco do classudo Royal Albert Hall, em Londres.

Noel Gallagher foi curador da série de shows beneficentes Teenage Cancer Trust, e escalou nomes como Primal Scream para tocar no evento. Um dos chamados foi Damon Albarn.

O burburinho de que Damon e Noel poderiam se apresentar juntos movimentou o noticiário pop nos últimos dias. E se tornou realidade quando Damon, ao microfone, na noite deste sábado, chamou: “Noel? Noel?”.

Damon Albarn estava acompanhado por Grahan Coxon e Paul Weller. Com Noel, o grupo tocou “Tender”, uma das mais lindas faixas do Blur – e do pop, por que não?

Autor: Tags: , , , ,

sexta-feira, 22 de março de 2013 música | 17:35

A nova "Novinha", do Tropkillaz

Compartilhe: Twitter

“Um baile trap em parceira com o Brazillionare (Gabriel Ben).”

Assim Zegon (o Zé Gonzales) define “Novinha”, faixa do Tropkillaz, dupla formada por Zegon e André Laudz.

“Novinha” segue a linha das produções do Tropkillaz: grave lá no alto, batidas quebradas e clima quente. Essa receita mexeu até com a Rússia. O Tropkillaz  passou a ser bem tocado nas festas de lá, tanto que vão gravar o clipe de “Mambo” naquele país.

Abaixo, o áudio de “Novinha”. Em seguida, um vídeo com “Mambo” sendo tocada na Rússia.

Autor: Tags:

música | 14:13

O Sigur Rós e o "nightmare pop"

Compartilhe: Twitter

Tem o dream pop de bandas como Beach House, Mazzy Star, Galaxy 500, Cocteau Twins. Pois o Sigur Rós investe agora no “nightmare pop”.

Jonsi Birgisson em show do Sigur Rós - Foto: Getty Images

A esquisitíssima banda islandesa lançará “Kveikur”, o sétimo disco, em 18 de junho, via XL Recordings. Em uma sessão de entrevista para o Reddit em janeiro, os integrantes do grupo adiantaram que o álbum seria “more aggressive”. Não era brincadeira.

O primeiro single tirado do disco, “Brennisteinn”, é uma das faixas mais pesadas já lançadas pela banda. O clipe dirigido por Andrew Huang acompanha a paranoia musical do grupo – agora um trio, já que o multi-instrumentista Kjartan Sveinsson pulou fora.

Confesso que nunca tive muita paciência para as viagens “etéreas”, quase “transcendentais” do Sigur Rós, mas esta “Brennisteinn” é uma paulada (num ótimo sentido).

Autor: Tags:

quinta-feira, 21 de março de 2013 música | 14:20

Savages: As quatro garotas de Londres

Compartilhe: Twitter

Não é toda hora que aparece uma banda que consegue reunir comparações com gente como Patti Smith, Joy Division, Siouxsie & the Banshees, The Slits e dezenas de outros nomes ligados ao pós-punk.

Porque pós-punk talvez seja o termo mais apropriado para definir a energia e a intensidade que saem do Savages, grupo formado em Londres por Jehnny Beth (vocal), Gemma Thompson (guitarra), Ayse Hassan (baixo) e Fay Milton (bateria).

Naquele começo de 2012, o Savages mostrava uma certa inquietação roqueira que faz falta a muita gente. As quatro meninas não tinham muito para mostrar até então – não muito mais do que os três minutos nervosos da ótima “Husbands”. Três mintuos que nos indicavam que era preciso prestar atenção naquela banda.

O Savages excursionou pelo Reino Unido (fez show elogiadíssio no londrino Electric Ballroom) e, segundo bons blogs e sites, foi um dos nomes que ganharam o South by Southwest, dias atrás.

Agora, finalmente conheceremos um pouco mais do Savages. A banda está para lançar (início de julho) o disco de estreia, “Silence Yourself”. O semi-hit “Husbands” estará lá, assim como “She Will”, o primeiro single, que já pode ser ouvido. Intenso é pouco.

Autor: Tags:

  1. Primeira
  2. 1
  3. 2
  4. Última