Publicidade

sexta-feira, 15 de março de 2013 música | 14:52

James Blake (e o encontro do geniozinho com o geniozão)

Compartilhe: Twitter

Aparentemente, não acontece muita coisa em “And Holy Ghost”, a nova música do James Blake.

Mas tem muito nos quatro minutos de “And Holy Ghost”. Um muro grave como pano de fundo; uma melodia austera, quase medieval; ruídos esquisitos; vocais quase imperceptíveis. A forma é abstrata, o clima é litúrgico.

“And Holy Ghost” foi tocada na britânica Radio 1 nesta quinta. Será lançada como lado B do single “Voyeur (Dub)” – esta última estará em “Overgrown”, o segundo disco de Blake, que sai em abril.

James Blake em show nos EUA em 2012 - Foto: Getty Images

James Blake tem 24 anos, mas a solidez e a plenitude de suas músicas remetem a alguém bem experiente.

A pouca idade denuncia: James Blake é um geniozinho. Parece natural, então, que ele tenha ido ao encontro de um geniozão da musica pop: Brian Eno.

O encontro Blake-Eno resultou em “Digital Lion”, faixa monstruosa que também estará em “Overgrown”. “Digital Lion” traz um James Blake mais “convencional” – e por convencional entenda-se “pós-dubstep-com-vocal-soul-tortuoso”, ou coisa do tipo.

Além de “Voyeur (Dub)” e “Digital Lion”, o disco “Overgrown” terá ainda “Retrograde”, mais um exemplo de que a intensidade de James Blake combina tanto com a soul music como com a eletrônica.

Autor: Tags: ,

Nenhum comentário, seja o primeiro.

Os comentários do texto estão encerrados.