Publicidade

Arquivo de setembro, 2013

quinta-feira, 19 de setembro de 2013 música | 17:03

O Bonde do Rolê quer entrar para o Guinness com "Picolé"

Compartilhe: Twitter

E o Bonde do Rolê quer entrar para o Guinness, o Livro dos Recordes.

A banda que saiu de Curitiba e ganhou o mundo lançou no ano passado o segundo disco, “Tropical/Bacanal”. E, agora, solta um vídeo para a faixa “Picolé”.

O ponto é que, para fazer esse vídeo, o trio chamou 45, sim quarenta e cinco, diretores. Cada um ficou responsável por cenas que têm entre 1 e 5 segundos de duração.

Suja e eufórica, “Picolé” foi produzida pelo Poolside (que já remixou, por exemplo, Matthew Dear e Rapture).

Autor: Tags:

sexta-feira, 13 de setembro de 2013 música | 13:53

Arctic Monkeys e Elvis Costello & The Roots: quanto mais, melhor

Compartilhe: Twitter

Não sei quanto a você, mas sinto uma enorme preguiça com texto que elogia disco com o argumento de que “melhora a cada audição”. Não me parece nada empolgante. Mas sou obrigado a entrar nessa com os novos do Arctic Monkeys e Elvis Costello & The Roots.

Alex Turner em show do Arctic Monkeys no Glastonbury 2013 - Getty Images

De “AM”, do Arctic Monkeys, quase desisti depois de ouvir uma ou duas vezes. Sentia o disco quadrado demais, convencional, um rock setentista que não me dizia nada. Errado. O disco é precioso.

Tem tanta coisa ali. Peso, psicodelia, sol, histórias divertidascomo a de uma garota que tem a cabeça nos anos 70 mas se comportam como amantes contemporâneas (“Arabella”), riffs espetaculares (“I Want It All”), falsetes. Fora que o disco é MUITO bem produzido (o som da bateria é límpido, robusto e agressivo ao mesmo tempo).

Percebemos que estamos diante de um cara que tem o que dizer e de uma banda que sabe o que faz aos 2min01 de “Do I Wanna Know?”. O ritmo diminui, e Alex Turner diz: “So have you got the guts?/ Been wondering if your heart’s still open/ If so I wanna know what time it shuts”. Momentos depois, a música volta a ganhar peso. Brilhante.

Alex Turner aparece chapado em  “Why’d You Only Call Me When You’re High?”: “Now it’s three in the morning and I’m trying to change your mind/ Left you multiple missed calls and to my message, you reply/ ‘Why’d you only call me when you’re high, high?'”.

Como The National e LCD Soundsystem, o Arctic Monkeys deixou longe a fase “I Bet You Look Good on the Dancefloor”. Está fazendo música “adulta”- não no sentido de “velha”, mas de menos imediatista, menos hormonal; mais pensada.

É o caso também de “Wise Up Ghost”, o álbum que reúne Elvis Costello e a banda de hip hop The Roots.

Esses dois sempre fizeram música “adulta”, mas essa parceria foi algo surgido meio ao acaso. Costello encontrou o Roots quando foi ao programa do Jimmy Fallon. Por diversão, começaram a gravar, sem divulgar muita coisa. O resultado é um disco certeiro.

Se há uma música que te pega logo de cara no disco é a primeira, “Walk Us Uptown”. Um quase-ska divertido que lembra um Roots mais antigo.

Em seguida, em “Sugar Won’t Work”, Costello assume a rédea e leva a canção para um caminho blues. “Come the Meantimes” explora o vocalde Costello e a capacidade rítmica do Roots. Já “Cinco Minutos Con Vos” ganha tom quase etéreo com o vocal da mexicana Marisoul (da banda La Santa Cecilia).

“Wise Up Ghost” não é um disco fácil, tem personalidade forte. É feito por gente grande.

Autor: Tags: , ,

terça-feira, 3 de setembro de 2013 música | 17:07

A juventude de Joey Bada$$

Compartilhe: Twitter

Joey Bada$ - foto Getty Images

Tirando o Kendrick Lamar, difícil encontrar um rapper novo tão bom quanto o nova-iorquino Joey Bada$$.

Aos 18 anos, Joey Bada$$ já lançou algumas mixtapes e preparar o primeiro disco, “B4.Da.$”, que deve sair no começo de 2014. Em outubro, engata turnê grande pelos EUA com Ab-Soul.

Enquanto isso, ele vai soltando músicas aqui e ali. A mais recente é “Killuminati pt. 2” (uma referência a “The Don Killuminati” do Tupac Shakur), na qual tira onda do próprio Kendrick Lamar. A história é a seguinte:

Em agosto, Kendrick Lamar apareceu como convidado de Big Sean na faixa “Control”. Lamar aproveitou a chance para chamar outros rappers (como Drake, A$ap Rocky, Tyler, the Creator e vários outros) para a “briga” – Lamar se auto-intitula “rei de Nova York” e canta “What is competition? I’m trying to raise the bar high”.

A isca foi pega por vários, como A$ap Rock, A$ap Ferg e, também, Joey Bada$$. Este, em “Killuminati pt. 2”, manda: “I’m the real King fella/ You more like ‘Prince of Bel-Air'”. Gênio.

Uma das faixas que poderão entrar no disco “B4.Da.$” é “My Youth”, um delicioso rap com tintura ragga.

Autor: Tags: