Publicidade

Posts com a Tag das racist

sexta-feira, 29 de abril de 2011 música | 19:34

Rap é o berço atual da música pop

Compartilhe: Twitter

Odd Future, Das Racist, Wiz Khalifa nos EUA; Rincon Sapiência, Emicida, Criolo, Slim Rimografia, Lurdez da Luz no Brasil.

Não é à toa que o rap está ocupando bom espaço no noticiário pop. É do gênero que está saindo não apenas boa música, mas gente provocadora, que foge do padrão, que tem coisas interessantes pra falar.

A música pop é uma indústria. Empresários de shows; organizadores de festivais; agências de artistas; jornais, revistas, sites, TV, rádio, YouTube. Essa cadeia precisa ser alimentada. Quem faz isso? É preciso surgir nomes constantemente para que as engrenagens continuem trabalhando.

O rock ficou com a missão no final dos anos 1980 (grunge), no meio dos 1990 (britpop), no início dos 2000 (novo rock).

A eletrônica entrou no final dos 1990, com Chemical Brothers, Prodigy, Underworld e outros extrapolando os limites das pistas de dança.

O rap historicamente (e infelizmente) sempre foi colocado meio à margem dessa indústria – por preconceito, ignorância. Nunca foi fácil vender shows do gênero para patrocinadores, ou emplacar reportagens em grandes veículos – fazer a mesma tarefa com gente nova do rock e da eletrônica era bem mais tranquilo.

***

Hoje, me parece, é no rap onde estão aparecendo nomes capazes de alimentar essa indústria. Como o Odd Future.

O coletivo (o nome é Odd Future Wolf Gang Kill Them All) tem oito, nove caras, todos com pouco mais de 20 anos, se tanto.

Seus shows são o que se espera de shows de rock: imprevisíveis, anárquicos, potentes. O líder do Odd Future, Tyler the Creator, é o que se espera de um líder de uma banda de rock: inteligente, desafiador, não-domesticado por assessores e executivos.

Em uma entrevista, perguntaram a Tyler: qual seu objetivo? “Ser melhor do que todo mundo. Porque eu odeio todo mundo e eu quero ser melhor do que todo mundo e eu quero que todos saibam disso”. Não faz média, é ambicioso, sabe onde quer chegar.

Entende-se por que uma publicação como o semanário “NME” (que sempre se dedicou às guitarras, preferencialmente de jovens brancos), tenha Tyler estampado em sua atual capa. Ou por que Pharrell Williams (Neptunes, NERD) paga pau para eles. Ou por que a MTV está tão animada com os caras.

***

No Brasil, a situação é parecida. Já ouviu o disco novo do Criolo (ex-Criolo Doido)? Para entender o mundo do Criolo, que une rap, samba e até bolero, esta entrevista feita pelo Pedro Alexandre é uma porta de entrada.

E uma das faixas mais legais feitas neste país é esta que você ouve/vê abaixo.

Autor: Tags: , , , , ,