Publicidade

Posts com a Tag Four Tet

terça-feira, 19 de novembro de 2013 música | 11:57

Neneh Cherry retorna com ajuda do Four Tet

Compartilhe: Twitter
Nene Cherry em show na Escócia - Getty Images

Nene Cherry em show na Escócia – Getty Images

Tudo bem que a Neneh Cherry lançou discos e excursionou com projetos meio jazzísticos como o Cirkus e o The Cherry Thing, mas disco solo dela mesmo não vem faz tempo – desde 1996.

Essa espera está para acabar – em grande estilo. O quarto disco de Neneh Cherry vai chamar “Blank Project”, terá participação da Robyn e é todo produzido pelo Four Tet (aliás, este 2013 é um ano Four Tet: além do disco próprio, “Beautiful Rewind”, Kieran Hebden foi o produtor responsável pelo ótimo álbum do sírio Omar Souleyman).

O disco da Neneh Cherry sai em fevereiro/2014. A faixa-título já pode ser ouvida. Não tem nada a ver com a clássica “Buffalo Stance” – claro, não estamos mais em 1989 -: vai do hip hop ao jazz a um r&b meio futurista na linha do que faz a Solange Knowles e a um monte de outras coisas. Classe.

Autor: Tags: ,

sexta-feira, 25 de outubro de 2013 música | 13:04

Omar Souleyman: Cantor sírio de 47 anos vira nova estrela indie

Compartilhe: Twitter

Um sírio de 47 anos que fez a carreira cantando em casamentos é a estrela indie da vez. Omar Souleyman não apenas está fazendo concorridos shows na Europa e nos EUA, tocando em festivais ao lado de Yeah Yeah Yeahs e My Blood Valentine, como tem disco produzido pelo Four Tet com lançamento pelo poderoso selo Domino (o mesmo de Arctic Monkeys e Franz Ferdinand, entre muitos outros).

“Wenu Wenu”, o disco produzido pelo Four Tet e lançado pela Domino, é feito de sete canções, entre elas “Warni Warni”, que é acompanhada por um vídeo que traduz bem o ritmo da faixa.

Souleyman é um dos artistas mais conhecidos da Síria. Lançou dezenas de discos caseiros (alguns saíram nos EUA pelo pequeno selo Sublime Frequencies), com canções gravadas em festas de casamento. Mas, devido à guerra que atinge o país, o cantor está exilado. “Não há mais música na Síria. A escuridão da guerra tomou conta”, ele disse ao jornal britânico The Indenpendent.

A música de Souleyman se encaixa dentro do dabke, gênero meio “folk rural” bem popular não apenas na Siria mas em outros países do Oriente Médio, do Leste Europeu e na Grécia. Música com ritmo meio alucinante, com letras que tratam de amor e amizade, basicamente. Souleyman, no disco, é acompanhado pelo ótimo tecladista Rizad Sa’id.

“A música de Omar tem a mesma cadência da house e do techno”, disse o inglês Kieran Hebden, o Four Tet, em uma excelente reportagem da “Spin”. Com a ajuda do Four Tet e a estrutura da Domino, a música de Souleyman deixa as festas de casamento na Síria para ganhar o mundo.

 

 

Autor: Tags: ,

quinta-feira, 20 de setembro de 2012 música | 11:23

The xx ganha companhia do Four Tet e de orquestra

Compartilhe: Twitter

Com qual frequência nos encontramos com uma banda que soa única, que parece estar à parte de tudo o que se faz na música pop? Tive essa sensação quando ouvi o primeiro disco do xx, em 2009, e ela voltou com “Coexist”, o segundo álbum do trio britânico, que acaba de ser lançado (lá fora, não aqui).

É assustador como o xx consegue criar o máximo de emoções e climas (beleza, melancolia, tensão, serenidade, esperança, desesperança) com o mínimo de recursos (melodias e arranjos feitos com pouquíssima instrumentação).

Nesse sentido, dá para fazer uma conexão entre o xx e a música eletrônica, que foi tomada pelo minimalismo nos anos 00. Não à toa: Jamie Smith (também chamado de Jamie xx), um dos integrantes da banda, é remixador dos mais hábeis.

Não consigo lembrar de uma  música recente tão cortante como o primeiro single de “Coexist” (nome meio U2), “Chained” (“We used to be closer than this/ (…) Did I hold you too tight?/ Did I not let enough light in?”).

Bem, “Angels” , outra das faixas que fazem de “Coexist” um disco tão incontornável, ganhou elegante remix do produtor britânico Four Tet (que passou pelo Sónar paulistano neste ano). A versão foi tocada na Radio 1, da BBC, e pode ser ouvida abaixo.

Ainda na ótima BBC, o xx protagonizou uma performance com acompanhamento da BBC Philharmonic Orchestra, parte da série BBC Philharmonic Presents. Dá para ouvir aqui.

Abaixo, um trecho da apresentação.

Autor: Tags: ,

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012 música | 12:47

Sónar: um festival que olha para o futuro

Compartilhe: Twitter

Bjork, Justice, James Blake, Four Tet, Modeselektor, Ryuichi Sakamoto, Mogwai, Squarepusher, Hudson Mohawke, Totally Enormous Extinct Dinosaurs, Austra (este último já comentado aqui). Estes serão alguns dos protagonistas da segunda edição paulistana do Sónar (11 e 12 de maio, no Anhembi). Os ingressos já estão sendo vendidos.

Alguns desses nomes são velhos conhecidos, outros apareceram há pouco tempo, mas praticamente todos têm um ponto em comum: não se acomodam em recriar o passado. São pessoas que teimam em olhar para a frente , que não têm receio de utilizar meios tecnológicos para criar (ou pelo menos tentar criar) algo novo. Ainda bem.

Veja, por exemplo, a Bjork. Você pode até não gostar de sua música, mas não dá para negar que essa islandesa busca algo original, antenado com os dias de hoje. Não sei nem se “Biophilia”, seu mais recente disco, pode ser chamado de “disco”. São canções feitas com ajuda de iPad, que interagem com aplicativos e se transformam totalmente ao vivo. Como no show que ela fez no inglês Bestival, no ano passado.

Com outros “veteranos”, como Jeff Mills, Mogwai e Ryuichi Sakamoto, a intenção é a mesma: produzir algo inesperado, não conformista. Pode ser chato? Pode, mas aí é outro papo.

***

Escrevi acima que “praticamente todos têm um ponto em comum” porque o Justice me parece estar fora desse grupo. A dupla francesa olha mais para o passado do que para o futuro. Seu segundo disco, “Audio, Video, Disco” é rock setentista feito com equipamentos eletrônicos. Pode ser divertido? Pode, mas aí é outro papo.

***

Após uma conversa com os organizadores do Sónar SP, algumas infos:
– Bjork está pessoalmente indicando/aprovando nomes que tocarão em seu palco na sexta-feira (11 de maio). Ela deu sinal verde para Hudson Mohawke e James Blake, por exemplo;
– Ainda faltam 16 ou 17 nomes para serem anunciados. Alguns desses farão parte da Red Bull Music Academy, que será montada dentro do espaço do festival;
– O Sónar Pró, espaço com workshops, palestras etc., já está recebendo inscrições (gratuitas); basta mandar e-mail para sonarpro@sonarsaopaulo.com.br com nome, idade, RG, ramo de atuação, empresa na qual trabalha e um pequeno texto descrevemdo por que deve participar do espaço.
– Squarepusher vem com show novíssimo: com músicas de disco que está para ser lançado e visual inédito.
– Será possível entrar e sair do evento; dá , por exemplo, para assistir algo no final da tarde de sábado e voltar horas depois

***

Já estão sendo divididas as atrações de cada dia do festival.

dia 11
Bjork, Little Dragon, James Blake (DJ set), Austra, Hudson Mohawke, Za!, Gui Boratto, Emicida, Marky x Patife, Ricardo Donoso

Dia 12
Justice, Mogwai, Modeselektor, Alva Noto 7 Ryuichi Sakamoto, Jeff Mills, James Blake (live), Four Tet, Seth Troxler, Totally Enormous Extinct Dinossaurs, John Talabot, The Twelves, M. Takara x Akin, Psilosamples, Gang do Eletro, Silva, Dago, Bruno Belluomini

Autor: Tags: , , , , , , , ,